21
Abr , 2017

Você e os primeiros erros


Categoria: Textos
afinal errar é mesmo humano?

Eu tinha cinco anos de idade quando ouvi minha mãe dizer pela primeira vez: "isso é um ferro de passar roupas, não encoste, é quente e você vai se queimar.” E o que eu fiz? Obvio que encostei e fiquei dias com a mão enfaixada e doendo. Outras vezes eu também tirei a casquinha do machucado antes de cicatrizar, e sofri com o tanto de sangue que ainda precisava sair para sarar. Esses provavelmente foram os primeiros erros da minha vida, na infância as saídas escondidas, as fugas de bicicleta, o sorvete sem autorização na lanchonete perto de casa. Essa semana lembrei de você, e pensando em você consegui relembrar de todo o começo. Enquanto errar era só um tropeço, uma nota baixa na escola ou um trote na amiga na escola. Quando te conheci, todos me alertavam, o que você vai fazer é errado, e mesmo assim, eu segui viagem. Achava que não tinha problema observar a nossa paisagem. Que tudo bem me divertir um pouco, com sua essência e sua “carinha de louco”. Você me despertava boas risadas, eram dias de intensas gargalhadas, cheios de altos e baixos na nossa estrada.


Era normal me sentir atraída, correr riscos na vida, esquecer dos meus amigos e dos conselhos das minhas amigas. Eu amava suas covinhas e corria qualquer risco para vê-las todos os dias. Nos divertimos em um curto espaço de tempo, muito frio na espinha, borboletas na barriga, quando você me buscava escondido quase todos os dias. Muitos diziam que eu estava errada, e afirmavam que com você era igual se perder em uma estrada, você não me levaria a sério por nada. Um dia eu percebi que a ferida estava aberta e que para tirar o resto da casquinha, só na hora certa. Você sempre me dizia que errar é humano, o que me faltava perceber é que com você tudo não passava de um grande engano.



Nathalie Maia


Jornalista, produtora e social media - Seja bem-vindo ao nosso infinito!

Saiba +

Gostou? Deixe seu Comentário

Nathalie Maia


Jornalista por formação e contadora de histórias por vocação. São raros os dias em que um bom enredo não passa na sua cabeça. Apaixonada por um bom roteiro, de fi...

Saiba +

Facebook

Instagram